EDUCAÇÃO

Gestão de Bruno Covas reorganiza Salas de Leitura e Informática prejudicando alunos e professores

A nova instrução normativa mantém os espaços físicos, mas encerra os projetos extracurriculares

Na última terça-feira (11), a Secretaria Municipal de Educação divulgou as diretrizes de organização das Salas de Leitura e Informática para 2019. As mudanças postas pela Instrução Normativa têm impacto negativo na vida escolar tanto para professores quanto para alunos.

A limitação de horas-aula vai acabar com a dedicação exclusiva às salas fazendo com que os   professores tenham que completar sua jornada em outras escolas, o que certamente afetará a qualidade do serviço prestado e diminui drasticamente a qualidade de vida do profissional em termos de locomoção e tempo gasto fora da escola para o planejamento pedagógico.

Já os alunos vão perder os principais projetos que acontecem fora do turno escolar, pro exemplo: robótica, cultura maker, imprensa jovem, aluno monitor, projetos de leitura e mediação de leitura, AEl entre outros. A Normativa garante apenas uma hora semanal de aula mediada pelo professor responsável pelo acesso à sala de informática e sala de leitura.

Em resumo, todas as atividades além do período regular de escolarização, - que em muitos pontos da cidade é a única opção de aprendizado e cultura – serão encerrados a partir de 2019.

Destaques