LITERATURA

FAPESP presta homenagem a Antonio Candido

No evento, que acontece na segunda-feira (27), será relançada a obra 'Formação da Literatura Brasileira'


(Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

Com participação de Fernando Henrique Cardoso, Celso Lafer, José Souza Martins, Walnice Galvão, Ana Luisa Escorel e Ivan Vilela, evento no dia 27 terá lançamento da reedição de Formação da Literatura Brasileira 

A FAPESP realizará uma homenagem ao sociólogo, crítico literário e professor universitário Antonio Candido de Mello e Souza (1918-2017) no dia 27 de agosto de 2018, às 14 horas, na sede da Fundação.

No evento haverá o lançamento de reedição do livro Formação da Literatura Brasileira, considerado o mais influente de Antonio Candido, lançado originalmente em 1959.

No início do evento haverá um concerto de viola caipira com Ivan Vilela, professor da Escola de Comunicações e Artes da USP. Em seguida, José Goldemberg, presidente da FAPESP, fará uma breve saudação, e um painel sobre a vida e obra de Antonio Candido será apresentado.

O painel terá a participação do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, de Celso Lafer, ex-presidente da FAPESP, de José de Souza Martins, professor na FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) da USP e membro do Conselho Superior da FAPESP, e de Walnice Nogueira Galvão, também professora na FFLCH-USP. Todos tiveram uma relação muito próxima com Antonio Candido, que completaria 100 anos no mês passado.

Os relatos que serão apresentados pelos participantes do painel vão destacar a trajetória de Antonio Candido. No caso da FAPESP, segundo Lafer, o destaque é a participação dele nas atividades iniciais da Fundação, ainda nos anos de 1960, quando ele deu apoio ao fomento das pesquisas nas áreas de ciências humanas.

Já a nova edição do livro Formação da Literatura Brasileira, referendado como um clássico, será apresentada pela editora Ana Luisa Escorel, uma das filhas de Antonio Candido, responsável pela nova edição. Resultado de um trabalho da editora Ouro Sobre Azul, a edição com 2 mil exemplares é apontada por Escorel como a tiragem mais perfeita da obra.

O texto foi atualizado pelas Normas Ortográficas da Língua Portuguesa e foram ajustadas e corrigidas imprecisões em nomes de autores e de obras. Esse último trabalho foi acompanhado por Antonio Candido, que pessoalmente orientou os ajustes em 95% do livro antes de falecer, em maio de 2017.

O evento é gratuito e ocorrerá no auditório da FAPESP, que fica na rua Pio XI, 1500, Alto da Lapa, São Paulo.

Mais informações.