EVENTO

Primavera Literária do Rio volta aos jardins do Museu da República

Tradicional casa do evento, que chega à sua 18ª edição este ano, vai receber cerca de 100 atrações culturais diversificadas gratuitas de 18 a 21 de outubro

Debates, palestras, oficinas, lançamentos, exposição e venda de livros, filmes, saraus, performances, atrações voltadas ao público infantil e até blocos carnavalescos vão agitar a 18ª Primavera Literária do Rio de Janeiro, de 18 a 21 de outubro de 2018. Cerca de 100 atividades, todas com entrada franca. Encontro anual de fomento à cultura e à literatura, o evento, promovido pela Liga Brasileira de Editoras (Libre), celebra sua maioridade com cerca de 100 editoras participantes e está de volta aos jardins do Museu da República, no Catete, Zona Sul da cidade.

São esperados 25 mil visitantes para os quatro dias. Ao longo de uma história de resistência das editoras independentes, a Primavera Literária se consolida como um espaço de convivência que propicia a aproximação do editor com o público leitor, encurtando as distâncias entre quem faz e quem consome literatura. A visão que norteia a Primavera é o estímulo à bibliodiversidade, termo que se refere à necessidade de diversidade na produção editorial e nos acervos disponibilizados aos leitores em bibliotecas e livrarias.

“A beleza da Primavera que a Libre organiza é uma das formas de materializar nosso compromisso em relação à bibliodiversidade. É um momento em que essa ideia ganha concretude e emerge na prática: projetos editoriais independentes, colaboração entre editoras, estandes de tamanhos padronizados, de modo a que o projeto maior não sufoque, pelo poder econômico, o menor. Isso se reflete também na programação ao trazermos autores consagrados dividindo mesas com jovens estreantes”, diz Raquel Menezes, presidente da Libre.

A Primavera Literária terá seis espaços de convivência. A tenda central ganhou o nome “Faça amor, não faça guerra”, um dos slogans dos protestos de maio de 1968, que completa 50 anos em 2018. No local, serão realizados os principais painéis da programação, com autores, ilustradores e outros artistas, além de editores, empreendedores e pesquisadores.  Entre os destaques desta edição, Conceição Evaristo, Italo Moriconi, Miguel Conde, Eduardo Jardim, Luiz Antonio Simas, Ricardo Lísias, e os estrangeiros Teresa Cárdenas (cubana), Michel Collot (francês) e o ilustrador Gusti Rosemffet (argentino). E, entre os temas em discussão, “Mulheres no poder”, “Mulheres negras na literatura”, “Mulheres do funk”, “1968: 50 anos depois”, “Ativismo Jovem”, “Tabu na literatura” e “Publique sexo”. 

O espaço educativo é destinado à transmissão de conhecimento, com palestras e oficinas com assuntos de interesse a escritores, editoras e visitantes que desejam aprender técnicas de literatura, narração de histórias e mediação de leitura. Outra área será ocupada pelos cineclubes Cine&Manas, MultiRio e Subúrbio em Transe com filmes e debates. Haverá espaços para lançamentos de livros e para programação infantil, incluindo contações de histórias, música, boxe, dança e ilustração, além de bate-papos para a família abordando temas como comunicação não violenta e representação negra na literatura infantil. No coreto, serão realizados os blocos de Carnaval “Só paro no próximo capítulo” e “Cartola é do Catete”.

Este ano, o Dia do Editor, focado em assuntos do mercado livreiro, que acontecia antes da abertura da Primavera, será realizado paralelamente à programação do primeiro dia e será aberto a todos os interessados. “Revolução 4.0 e economia em rede”, “Internacionalização e seus processos” e “O livro e o licenciamento” são alguns dos temas dos debates.

Outra novidade é o Primavera Convida, mesas programadas por instituições e projetos convidados: MultiRio, Puxadinho, Revista Philos, Agência Onze - UVA, Revista Quatro cinco um, Quindim e Mulheres que Escrevem. Além disso, o ciclo de palestras em universidades Esquenta Primavera, de 3 a 12 de outubro, vai potencializar a divulgação da Primavera Literária entre os estudantes, como um canal de fomento à cultura e à literatura no Rio de Janeiro. Estão confirmadas atividades na Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e Universidade Veiga de Almeida (UVA).

A 18ª Primavera Literária será realizada das 10h às 20h e conta com patrocínios da Bibliomundi, plataforma de autopublicação e distribuição de e-books, da gráfica Forma Certa e da Metabooks, plataforma de gerenciamento de metadados integrada ao sistema de editores e livreiros. Comidinhas para todos os gostos serão vendidas em food trucks. O Museu da República abrigou o evento ao longo de dez edições até 2016 e fica na Rua do Catete, 153.

DESDE 2001 IMPULSIONANDO O MERCADO EDITORIAL

Ao longo de suas 29 edições (divididas entre Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Salvador), desde 2001, a Primavera Literária recebeu uma média de 8 mil visitantes por dia. Mais de 20 mil livros já foram vendidos nos estandes participantes, somando um valor na casa dos R$ 720 mil em livros comercializados. Compondo sua diversa programação, participam de palestras e debates uma média de 50 nomes da área por edição, impactando diretamente o público presente.

Dentre os nomes de destaque, aconteceram homenagens, debates e a presença de personalidades como Conceição Evaristo, Martinho da Vila, Ondajki, Leonardo Boff, Lázaro Ramos e Roger Chartier. Também foram lançados uma média de 15 títulos por edição, com a presença de seus autores em muitas ocasiões.

18ª Primavera Literária

Programação: http://libre.org.br/programacao-primavera-literaria-rio-2018/

18 a 21 de outubro de 2018

Local: Museu da República (Rua do Catete, 153 - Catete | Rio de Janeiro - RJ)

Horários: das 10h às 20h

Entrada gratuita

Tel.: (21) 2127-0324

Confira