SURTO

Febre amarela: perguntas e respostas sobre a vacina

Baseado em questões concretas, Painel Acadêmico elaborou uma lista de perguntas e respostas sobre a vacinação

Com auxílio da jornalista Ruth Helena Bellenghini, especializada na cobertura de ciência e saúde, Painel Acadêmico elaborou uma lista de perguntas e respostas retirada de casos reais.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

1. Minha mãe tem 67 anos e mora perto de uma área de risco. Ela deve tomar a vacina ou seguir a recomendação de não tomar porque tem mais de 60 anos?
R. Nos casos como o da sua mãe, recomenda-se falar com o médico antes e só tomar se ele autorizar. A decisão não é da sua mãe, é do médico, que tem de pesar os dois riscos: o de tomar a vacina e o de não tomar. Em pessoas com mais de 60 anos, 1 a cada 150 mil vacinados tem reação grave.

2. Tenho mais de 60 anos, mas meu médico recomendou que eu tomasse a vacina. O posto de saúde vai me vacinar?
R. Sim. Leve a autorização do médico para o posto, que vai seguir a recomendação dele.

3. No site do Ministério da Saúde tem uma informação que bebês entre 9 meses e 2 anos não podem tomar a vacina fracionada. Qual o motivo?
R. Nesta idade, devido a características do sistema imunológico das crianças, a dose tem de ser a integral mesmo.

4. Tenho 55 anos, estou na menopausa e fico muito na cama, devido a outros problemas de saúde. Devo me vacinar?
R. A prioridade agora é para quem tem contato com trilha, acampa ou mora perto de florestas. Mas se você ainda está com dúvida, procure seu médico.

5. Moro em Manaus e minha filha foi vacinada com 9 meses. Ela tem dez anos agora. Ela precisa tomar outra vacina?
R. Não. Ela, segundo a OMS, está coberta. Quem já tomou a dose completa uma única vez está suficientemente imunizado.

6. Um conhecido foi vacinado há 10 anos e tem o certificado internacional onde está carimbado a data de validade, que já expirou. Nesse caso, já que não precisa tomar outra dose, como regularizar o certificado de vacinação?
R. Ele precisa agendar troca do certificado no site da Anvisa: http://portal.anvisa.gov.br/certificado-internacional-de-vacinacao-ou-profilaxia

7. Não tenho certeza se já tomei a vacina. O que devo fazer?
R. Deve tomar a vacina, especialmente se estiver numa área de risco.

8. Minha filha é alérgica a ovo. Ela deve tomar vacina?
R. Se ela é alérgica a ovo, ela não pode tomar a vacina. Se vocês estiverem numa área de risco, reforce os repelentes. A mesma recomendação é a dada a pessoas imunosuprimidas, pacientes em terapia imunomoduladora e portadores de doenças autoimune.

9. Tomei a vacina hoje. Quando estarei imunizado?
R. A partir do décimo dia após a aplicação.

10. A vacina fracionada realmente funciona?
R. Sim, só não sabemos ao certo por quanto tempo. A Organização Mundial de Saúde usou essa estratégia de emergência há quase dois anos no Congo e em Angola e, até agora, a população mantém uma resposta imune equivalente á de quem tomou a dose integral. Aqui, a BioManguinhos tem um estudo, ainda não publicado, com militares que tomarem a fracionado oito anos atrás e também mantém a resposta imune. O Ministério da Saúde deve acompanhar as pessoas que receberem a dose fracionada, que vão fazer parte de um banco de dados e também serão acompanhadas.
 

Destaques