RIO DE JANEIRO

Sem quitação de salários, 2º semestre não deve começar nas universidades estaduais do Rio

Reitores das três universidades estaduais alertaram que não há condições de iniciar atividades sem pagamentos de quatro salários atrasados

Em carta enviada ao secretário da Ciência, Pedro Fernandes, os reitores das três universidades estaduais do Rio de Janeiro avisaram que não terão condições de iniciar as aulas no próximo semestre se os salários atrasados de servidores e professores não forem quitados pelo governo do estado. Atualmente, estão pendentes os pagamentos de abril, maio, junho e do 13º salário de 2016.


Saiba mais sobre nossa campanha de assinatura solidária; além de nos apoiar, você também ganha recompensas

O documento pede que os servidores das universidades sejam tratados com isonomia em relação aos demais funcionários públicos da educação do Rio.

Segundo os dirigentes, uma nova paralisação afetaria diretamente cerca de 150 mil alunos do ensino superior público e destaca que as atividades só estão sendo concluídas neste semestre por conta do comprometimento dos servidores e das empresas de prestação de serviços.

Atualmente, as três universidades estão encerrando as atividades referentes ao segundo semestre de 2016, que ainda não havia sido concluído em razão de sucessivas greves motivadas por atrasos em repasses e salários.

Na carta, os reitores ainda lembram da decisão judicial que obrigou o pagamento dos salários atrasados na universidade.

Na quarta-feira da última semana (28/6), o juiz Alberto Nogueira Júnior, da 10ª Vara Federal do Rio de Janeiro, ordenou que o governador do estado, Luiz Fernando Pezão, quitasse em até 48 horas os salários atrasados dos servidores da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro). A multa diária fixada em caso de descumprimento foi de R$ 1 mil.

Ao comentar a sentença no dia seguinte, o governador afirmou estar ‘muito tranquilo’ sobre a decisão, mas ressaltou que não tinha dinheiro em caixa para fazer os pagamentos e se incluiu entre os que estão sofrendo com os atrasos.

“A multa também é contra mim junto à UERJ. Ontem também recebi os R$ 250 igual ao funcionário da universidade. O acordo vai possibilitar que a gente atualize o salário. Todo o secretariado está recebendo no mesmo dia”, apontou Pezão.

Confira abaixo a íntegra do documento enviado pelos reitores para o secretário da Ciência:

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques