#MUSEUDEMEMES

Universidade Federal lança primeiro Museu de Memes do Brasil

Criado por pesquisadores da UFF, acervo virtual traz informações sobre origens e desdobramentos do fenômeno cultural da internet

Complexos informacionais com diversas camadas semânticas que, a partir de conexões entre os mais diversos conteúdos e referências, compõem um nicho comunicativo inédito. A descrição parece muita complicada, mas estamos falando dos memes, fenômeno cultural da internet que agora também fazem parte de um museu criado pela UFF (Universidade Federal Fluminense).

Foto: Divulgação

Acervo virtual é uma provocação sobre a relação entre internet, cultura popular e cultura erudita

Uma espécie de provocação sobre a relação entre internet, cultura popular e erudita, o #MUSEUdeMEMES foi lançado pelo Departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade e é autodenominado como o “maior acervo virtual de memes brasileiros”.

Criado e coordenado pelo professor de Estudos de Mídia Viktor Chagas, o webmuseu é o segmento virtual do grupo de pesquisa coLAB, um laboratório de comunicação, culturas políticas e economia da colaboração.

“Conjugando pesquisa e extensão no âmbito da universidade, a proposta é ser também uma provocação sobre o lugar da cultura popular de internet, um questionamento sobre o papel dos museus e da memória popular e, claro, uma plataforma lúdica”, explica o professor.

No acervo, é possível encontrar coleções que explicam a origem de e exibem variações de memes bem-humorados, engajados com causas políticas, entrevistas com criadores e personagens de memes e até mesmo informações sobre a #PrimeiraGuerraMemeal, “conflito online” entre internautas de Brasil e Portugal que gerou uma enxurrada de memes de ambos os lados depois que internautas brasileiros acusaram a conta no Twitter intitulada “In Portugal we don’t” de se apropriar de memes nacionais do perfil “In brazilian portuguese we don’t say”. Ambas as páginas faziam piadas com expressões idiomáticas da língua portuguesa.

A guerra aconteceu entre os dias 12 e 15 de junho de 2016 e foi vencida pelos brasileiros, após o perfil português que originou o “conflito” oficializar a aceitação da derrota.

Para visitar o museu, clique AQUI.

(*) Com informações da UFF.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques