DICAS DE SÉRIES

Merlí: série retrata soluções criativas de um professor de filosofia para driblar regras que engessam a escola

Desempregado e morando com a mãe, professor catalão vai dar aulas na mesma escola onde o filho adolescente estuda

Alguns dias atrás escrevi sobre a série Rita, dinamarquesa, que se passa em torno da vida de uma professora dedicada e da escola em que ela trabalha. Gostei tanto da série que engatei em uma outra que tem como protagonista, dessa vez, um professor de filosofia, Merlí.

Merlí começa o seriado desempregado, morando com a mãe, uma respeitada atriz, e com o filho – três gerações na mesma casa, em Barcelona. Está à espera de uma oportunidade, que, parece prometer a situação, não virá.

Divulgação/ Netflix

Mas o inesperado acontece, e Merlí é chamado a ocupar uma vaga na escola em que seu filho estuda. Sai para trabalhar sem avisá-lo e, claro, a primeira turma que pega é a do garoto, que está iniciando o equivalente ao nosso ensino médio.

Mais ainda do que Rita, o espaço da trama é a escola. Os episódios são organizados a partir dos filósofos que Merlí vai apresentar à turma. Como Rita, Merlì é um dedicado professor, mas está ainda menos interessado em cumprir as regras que engessam a vida escolar.

Merlí é uma personagem excepcional, porque coloca toda a escola de pernas para o ar. Confronta o coordenador pedagógico e professor de literatura catalã, um adepto da “linha dura” dentro da sala de aula, namora colegas, mães de aluno e ainda vai lidando com as principais dificuldades de relacionamento e de aprendizado de cada um dos alunos mais relevantes para a trama de sua turma.

Ali há o repetente, o filho de pais reacionários em conflito familiar, a menina que cria falsos conflitos, o rapaz que não estuda, mas quer tirar nota alta. Para cada um, Merlí adota uma intervenção não ortodoxa, que vai produzindo seus diferentes frutos.

A relação com o filho, dentro e fora da sala de aula, não poderia ser mais interessante. O filho é homossexual, quase todos sabem na sala, mas não quer admitir. O próprio pai vai cobrar que ele tenha coragem e assim se reconheça, especialmente quando o filho transfere os medos e as perseguições que sofre para um outro professor, de espanhol (a série é falada, originalmente, em catalão), muito simpático e respeitoso, apesar da atitude do aluno.

Merlí é mais uma dessas séries que os professores vão se reconhecer e aprender.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos: