RIO DE JANEIRO

Uerj adia volta às aulas pela 5ª vez e não fixa data para retorno

Em nota, reitoria e diretores afirmaram que retorno das atividades depende do restabelecimento de condições básicas para o funcionamento da Universidade

A volta às aulas na Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) foi adiada pela quinta vez. Em reunião no início do mês, o Fórum de Diretores da Universidade havia fixado esta segunda-feira (13/2) como a data de retorno das atividades acadêmicas. Em reunião realizada na última sexta-feira (10/2), no entanto, reitoria e diretores concluíram que os campi ainda não têm condições básicas para receber alunos e professores.

Foto: Thiago Facina/ Uerj

Universidade é uma das instituições mais prejudicadas com a crise financeira do estado do Rio de Janeiro

A decisão foi divulgada por meio de nota publicada no site oficial da Uerj. No texto, reitoria e diretores dizem estar com “expectativa positiva” sobre as negociações com o Governo do Estado. Apesar disso, ao contrário dos adiamentos anteriores, nenhuma data foi fixada para o retorno das aulas.

O texto informou que as atividades acadêmicas serão retomadas dois dias úteis depois do “restabelecimento de condições básicas para o funcionamento da Universidade”. A apresentação de um calendário de repasse de verbas para a manutenção geral; um plano de regularização dos pagamentos para empresas terceirizadas; e um calendário de pagamentos de salários atrasados de servidores, incluindo 13º e também bolsas estudantis.

A Uerj é um das instituições públicas mais afetadas com a crise financeira atravessada pelo estado do Rio de Janeiro. Em janeiro deste ano, a Secretaria de Estado da Fazenda do Rio revelou que, no ano passado, o estado repassou à Universidade apenas 65% do orçamento total previsto para 2016.

Leia abaixo a íntegra da nota da uerj:

A Reitoria da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, após nova reunião com o Fórum de Diretores das Unidades Acadêmicas, com os Sub-Reitores e os Diretores dos Centros Setoriais, realizada em 10 de fevereiro de 2017, tendo em vista a sucessão de um conjunto de reuniões, nos últimos dias, com o novo secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação, uma reunião com o Excelentíssimo Senhor Governador, e uma outra, com o Ministério Público, abrindo novos canais de negociação, visando dotar a Universidade de condições básicas de funcionamento, definiram que ainda não é possível que a UERJ inicie as aulas, no próximo dia 13 de fevereiro, como anteriormente almejado.

A Reitoria, juntamente com o Fórum de Diretores, reconhecea relevância do novo cenário de negociações que está em curso, pavimentando a construção de novos caminhos, visando a retomada integral das atividades acadêmicas na UERJ, em particular o início das aulas do período letivo de 2016.2.

Nesse sentido, o Fórum de Diretores decidiu se manter reunido em caráter permanente, para acompanhar a concretização das negociações sinalizadas pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro para a superação da grave crise que atinge a UERJ.

O Fórum de Diretores, igualmente decidiu que o início das aulas se dará, em 2 dias úteis, logo após o (re)estabelecimento das condições básicas para o funcionamento da Universidade, já devidamente apresentadas pela Reitoria tanto à SECTI, quanto ao Governador do Estado e ao Ministério Público.

São elas, a apresentação de:

- calendário de repasses de verbas para a manutenção em geral, com previsão de repasse de cota financeira mensal;

- um plano de regularização dos pagamentos às empresas terceirizadas (manutenção, infraestrutura, limpeza, segurança, lixo e Restaurante Universitário);

- calendário de pagamento de salários, incluindo o décimo terceiro e de bolsas estudantis e demais modalidades.

O Fórum de Diretores expressa sua expectativa positiva diante dos novos patamares de interlocução com o Governo do Estado, e a demonstração efetiva, da priorização da educação, da ciência, da tecnologia e da inovação em nosso Estado. Desse modo o Fórum voltará a se reunir, presencialmente, no dia 16 de fevereiro, para avaliar os desdobramentos das negociações ora em curso.

A Comunidade Acadêmica, de um modo geral, vem expressando, com vigor, o desejo de retorno às aulas. Reafirmamos que o senso de responsabilidade continua a nortear as decisões até aqui tomadas pelos signatários, tendo em vista o compromisso do cumprimento integral da missão desta Universidade perante à comunidade universitária e à população do Estado do Rio de Janeiro.

Maria Georgina Muniz Washington – Reitora em exercício
Tania Maria de Castro Carvalho Netto – Sub-Reitora de Graduação
Elaine Ferreira Tôrres – Sub-Reitora de Extensão e Cultura
Guilherme Teixeira Portugal – FAF
Fernando Padovani - FAF
Dirce Eleonora Nigro Solis – IFCH
Edna Maria dos Santos - IFCH
Renato dos Santos Veloso – FSS
Maria Claudia Pereira Coelho – ICS
Ronaldo Oliveira de Castro – ICS
Alexis Toribio Dantas – FCE
João Feres Júnior – IESP
Lincoln Tavares Silva – CEH
Rosana Glat – EDU
Eloiza da Silva Gomes de Oliveira – IFHT
Alexandre Sá Barreto da Paixão – IART
Ana Maria de Almeida Santiago – FFP
Luciano Ximenes Aragão – FEBF
Maria Tereza Cavalcanti de Oliveira – FEBF
João Pedro Dias Vieira – FCS
Márcia Regina de Faria da Silva – ILE
Maria Fátima de Souza Silva – CAp
Mariana da Costa Valim – CAp
Ana Maria Lopez Calvo de Feijoo – PSI
Flávio Chame – IEFD
Mário Sergio Alves Carneiro – CBI
Renata Rocha Jorge – ODO
Jorge José de Carvalho – IBRAG
Norma Albarello – IBRAG
Eloá Carneiro Carvalho – ENF
Roberta Fontanive Miyahira – NUT
Rossano Cabral Lima – IMS
Edmar José Alves dos Santos – HUPE
Luis Antonio Campinho Pereira da Mota – CTC
José Roberto Pinheiro Mahon – FIS
Jacques Fernandes Dias – FAT
Zoy Anastassakis - ESDI
Marcos André Franco Martins – ESDI
Jorge Duarte Pires Valerio – FEN
Hindenburgo Francisco Pires – IGEOG
Rafael Angelo Fortunato – IGEOG
Alessandro Mendonça Filippo – FAOC
Lélia Maria de Araújo Kalil Thiago – FGEL
Geraldo Magela da Silva – IME
Marco Antonio da Costa – QUI
Ricardo Carvalho de Barros – IPRJ
Luis Cristovão de Moraeis Sobrinho Porto – PPC
Francisco José de Oliveira - PPC

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques