CANTANDO ESTAÇÕES

La La Land: parceria que começou em ‘TCC’ na faculdade pode render premiação recorde no Oscar

Responsáveis pela direção, roteiro e trilha sonora do aclamado musical dividiram quarto na universidade; filme já é o maior vencedor da história do Globo de Ouro

Dois nerds que escapavam de festas para estudar mais e aprimorar suas técnicas. Estes eram Damien Chazelle e Justin Hurwitz nos tempos de faculdade. Antigos companheiros de quarto na Currier House, uma residência para estudantes na Universidade de Harvard, os amigos são os responsáveis pela direção, roteiro e trilha sonora do filme La La Land – Cantando Estações, que no dia 26 de fevereiro pode se tornar o maior vencedor da história do Oscar.

Foto: Youtube/ Groucho Reviews

Damien Chazelle (esq.) e Justin Hurwitz (dir.): amizade na universidade se transformou em uma das parcerias de maior sucesso da história do cinema

"Ele estava escrevendo roteiros na época e dirigindo curtas-metragens para o Departamento de Estudos Visuais de Harvard e comecei a realmente apreciar quem ele era como escritor-diretor. E ele estava assistindo o que eu estava trabalhando, compondo no meu piano. E também começou a apreciar o que eu fazia", contou Justin Hurwitz em entrevista para a Harvard Gazette.

Trailer de "Guy and Madeleine on a Park Bench", TCC de Damien Chazelle que marcou o primeiro trabalho do cineasta com Justin Hurwitz:

A parceria com Chazelle começou quando ambos eram calouros em Harvard. Pianista, Hurwitz não queria estudar em um conservatório para ter a possibilidade de explorar horizontes maiores do que apenas a música. "Eu sabia que queria estudar música, mas também sabia que queria ir para a escola com um grupo mais diversificado", afirma o compositor.

Os prodígios de Hollywood tocavam em uma pequena banda. Chazelle como baterista e Hurwitz como pianista. No segundo ano de faculdade, eles deixaram o grupo, mas a amizade continuou. Dividindo o mesmo quarto na Currie House, a dupla também dividia os sonhos para o futuro, trabalhava duro e passava noites em claro para se aperfeiçoar cada vez mais.

Vencedora do Globo de Ouro, "City of Stars" é a favorita para o prêmio de Melhor Canção Original no Oscar 2017:

"Damien e eu realmente nos ligamos a esta filosofia trabalhar muito e se sacrificar. Eu me lembro que fazíamos o outro se sentir culpado por não trabalhar duro o suficiente. E nós tivemos muitas conversas sobre como nós dois queríamos ser realmente, realmente bons no que fazemos, e o que seria necessário ", relata Hurwitz.

Qualquer semelhança com o aclamado Whiplash – Em busca da perfeição (2014), que contou com a participação de Hurwitz e marcou a indicação de Chazelle ao Oscar de Melhor Diretor com apenas 30 anos, não é mera coincidência. O filme, aclamado pela crítica e vencedor de três estatuetas (Ator Coadjuvante, Montagem e Mixagem de Som), narra a história de um estudante baterista de jazz que sofre com o rigor exigido por seu professor no melhor conservatório dos Estados Unidos.

"Whiplash" marcou a primeira indicação de Chazelle para o Oscar de Melhor Diretor:

O primeiro trabalho conjunto da dupla no cinema foi em Guy and Madeline on a Park Bench, um musical também sobre jazz. O filme, lançado em 2009, era a tese final, uma espécie de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) de Chazelle no curso de Artes Visuais em Harvard. Com um enredo que narra uma história de paixões, términos de relacionamentos e reconstrução de vida, o musical é considerado um precursor de La La Land.

Com 14 indicações em 13 categorias, na última semana La La Land igualou Titanic (1997) e A Malvada (1950) e já é um dos filmes mais indicados na história do Oscar. Se garantir 12 estatuetas na cerimônia de entrega, o musical passará a ser o maior vencedor da premiação.

A dupla Chazelle- Hurwitz é responsável por cinco destas indicações: Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original (“City of Stars” e  “Audition – the fools who dream”).

La La Land já é o maior vencedor da história do Globo de Ouro e recordista em indicações ao Oscar:

Estrelado por Emma Stone e Ryan Gosling, com um enredo que narra a história de amor entre uma aspirante a atriz e um nostálgico pianista de jazz, La La Land se tornou o maior vencedor da história do Globo de Ouro no início de janeiro. Com sete indicações, o musical arrebatou sete prêmios e superou filmes como O Estranho no Ninho (6) e O Poderoso Chefão (5).

Chazelle recebeu os prêmios de Melhor Diretor e Melhor Roteiro Original, enquanto Hurwitz recebeu os Globos de Ouro por Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original (“City os Stars”).

(*) Com informações da Harvard Gazette.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques