SÃO PAULO

Após criticar Dória, Charles Cosac assume Biblioteca Mário de Andrade

Em dezembro, novo diretor da Biblioteca se disse frustrado com a vitória de João Dória e disse que o prefeito 'age como um Trump'

O editor Charles Cosac é o novo diretor da Biblioteca Mário de Andrade (BMA). Na manhã desta quarta-feira (11/1), sua nomeação foi anunciada aos funcionários da Biblioteca pelo próprio Secretário Municipal de Cultura, André Sturm.

“A expectativa é dar continuidade aos projetos que foram implementados e, a partir daí, começar a trabalhar definindo, primeiramente, a questão da informatização e da prevenção do acervo”, afirmou Cosac na apresentação aos funcionários.

Em entrevista concedida à revista Veja no final do ano passado, Charles Cosac se disse frustrado com a vitória do prefeito João Dória (PSDB) ainda no primeiro turno das eleições municipais. Na oportunidade, o novo diretor da Biblioteca Mário de Andrade revelou ter votado na candidata do PMDB, Marta Suplicy, e disse que Dória “age como um Trump”.

“Eu não acho que grandes empresários, homens que ficaram ricos, sejam obrigatoriamente grandes prefeitos. Eu também não entendo um prefeito que não é político. Um prefeito que não é político devia ser contratado por um prefeito que é político. Ele age como um Trump, um self-made-man que vai fazer todo mundo ficar rico em São Paulo. E isso não vai acontecer. Fiquei passado com a vitória contundente dele. E frustrado”, disse Cosac à Veja.

No encontro com os funcionários nesta quarta, o secretário Sturm destacou a importância da Biblioteca Mário de Andrade como polo difusor das políticas voltadas à valorização das bibliotecas municipais.

“Queremos que as bibliotecas do município se tornem equipamentos culturais dinâmicos e a Biblioteca Mário de Andrade é um bom exemplo disso. Queremos que ela seja um polo dinamizador e catalisador desse processo que vamos desenvolver com todas as bibliotecas. Aqui será uma espécie de catedral das bibliotecas de São Paulo, no sentido da grandeza, do reflexo e do eco que ela pode gerar no restante dos equipamentos. Além disso, é muito importante buscar a multidisciplinaridade, a variedade e a diversidade dentro dos equipamentos culturais”, afirmou o secretário.

De acordo com Cosac, novos projetos ainda estão sendo pensados, mas terão como foco a dinamização do espaço.

(*) Com informações da Prefeitura de São Paulo e da revista Veja. 

Destaques

Últimas notícias