MOBILIDADE URBANA

Justiça suspende aumento na integração entre ônibus e metrô em SP

Juiz afirmou que reajuste é discriminatório, pois afeta pessoas que vivem nos locais mais periféricos da região metropolitana

A Justiça paulista ordenou a suspensão do aumento de 14,8% na integração entre os ônibus municipais e Metrô e Trens de São Paulo. O juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) acatou pedido feito em ação proposta pela bancada do PT (Partido dos Trabalhadores) na Alesp (Assembleia Legislativa) e determinou também a suspensão da cobrança para integração nos terminais metropolitanos, que varia de R$1 a R$1,65. As informações são do portal Rede Brasil Atual.

Foto: Rovena Rosa

Para juiz, reajuste da integração entre ônibus (geridos por Dória) e metrô (gerido por Alckmin) penaliza moradores de regiões mais afastadas

Para o magistrado, o aumento das tarifas para integração é injusto, pois beneficia moradores das regiões mais centrais que precisam usar apenas o Metrô, que não teve reajuste na tarifa básica, enquanto cobra mais caro de quem vive em locais mais afastados e depende das integrações para se locomover.

"A discriminação parece ser injusta, pois a medida é mais benéfica a quem reside nas regiões centrais e se utiliza apenas do Metrô, cuja tarifa básica foi mantida, mas revela-se gravosa a quem reside em locais mais distantes e se utiliza de trem e metrô, cuja tarifa integrada foi aumentada acima da inflação", disse o juiz.

As tarifas básicas dos ônibus, trens e metrôs da capital paulista não foram reajustadas. A manutenção do valor dos bilhetes foi uma promessa de campanha do novo prefeito João Doria. O transporte sobre trilhos, no entanto, fica sob responsabilidade do governo estadual de Geraldo Alckmin.

Para fazer a transferência entre ônibus e Metrô, o usuário do Bilhete Único tem um desconto. A passagem única custa R$ 3,80 na capital. Ao passar do ônibus para o metrô ou trem metropolitano, ou vice-versa, o usuário pagava um total de R$ 5,92. Com o aumento, quem precisar pegar fazer a integração passaria a pagar R$ 6,80, um aumento de 14,8%.

(*) Com informações da Rede Brasil Atual e da Agência Brasil.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques