SEGUNDA GUERRA

Edição crítica de Mein Kampf é best-seller na Alemanha

Com mais de 3 mil notas explicativas sobre o contexto histórico do livro, obra de Adolf Hitler republicada já está na sexta edição

A edição crítica de Mein Kampf de Adolf Hitler, publicada em janeiro de 2016 na Alemanha pela primeira vez depois de 1945, alcançou o marco de 85 mil cópias vendidas. A obra, editada pelo lfZ (Instituto de História Contemporânea de Munique), de tiragem original de apenas quatro mil exemplares está na sua sexta edição. As informações são da Agência France Presse.

O livro, que estava proibido desde 1945, caiu em domínio público em janeiro de 2016. Ou seja, pode ser publicado sem a necessidade de autorização prévia. Tendo em vista a data de expiração da proibição, o IfZ decidiu publicar uma reedição crítica com duas mil páginas.

Foram adicionadas ao conteúdo original mais de 3 mil notas explicativas sobre o contexto histórico do livro afim de que a obra não seja usada para propaganda nazista, como era seu objetivo original. O diretor do lfZ, Andreas Wirsching, afirma que a preocupação com a propagação da ideologia de Hitler é infundada, já que a maioria dos compradores são interessados por história política e professores da área.

As autoridades alemãs continuam processando editores ou amadores que tentam publicar o original sem notas críticas. A obra incitava o ódio contra judeus e a soberania da chamada raça ariana, ideologias que colaboraram para a eclosão da Segunda Guerra Mundial.

(*) Com informações da Agência France Presse

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques