VIOLÊNCIA

Escolas são fechadas e alunos ficam sem aula em morro ocupado pela PM do Rio

Policiais do Bope estão vasculhando ruas do Morro do Turano à procura de traficantes e não têm previsão para deixar a região

Com a ocupação do Morro do Turano, no Rio Comprido, zona norte da cidade do Rio de Janeiro, pela Polícia Militar, devido a uma guerra entre traficantes rivais, mais de 1.700 alunos da rede pública de ensino vão ficar sem aulas no turno da tarde. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, os alunos também ficaram sem aulas no turno da manhã, por medida de segurança.

Policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais), tropa de elite da PM, estão reforçando o patrulhamento na região, e vasculhando as ruas da comunidade à procura dos traficantes e não têm previsão de deixar a região. O comércio do bairro está aberto normalmente.

Apenas uma escola da rede estadual de educação, o Colégio Estadual Herbert de Souza, no Rio Comprido, não abriu ao público. O Colégio de Aplicação da Universidade do Estado do Rio (CAP-Uerj) e a Universidade Estácio de Sá, que tem campus no Rio Comprido, não abriram hoje por medida de segurança.

Tiroteio

Na tarde deste domingo (11/9), uma pessoa morreu e duas pessoas ficaram feridas, atingidas por balas perdidas durante um confronto entre traficantes de drogas na Avenida Paulo de Frontin e militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora). Os traficantes fortemente armados fugiram, após trocar tiros com homens de uma facção rival e se depararem com os policiais da UPP do Turano.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques