#ESCOLADEMOCRÁTICA

Adriano Diogo: 'Escola Sem Partido é a escola da barbárie'

'Como ninguém quer golpe, a Escola Sem Partido é a forma de iniciar esse processo fascista'. Ex-presidente da Comissão da Verdade e da CPI das Universidades na Alesp está no 14º vídeo da série

“Eu acho que a Escola Sem Partido é uma mentira. Na realidade é uma Escola Com Partido. Na ditadura o partido era a Arena (Aliança Renovadora Nacional). Então a escola tinha que dar as lições do Regime Militar, as lições da Arena. A proposta da Escola Sem Partido é, mais ou menos, a escola do fascismo. A escola da barbárie. Da pena de morte. Do rebaixamento da idade penal. É o fim dos tempos.”

Geólogo sanitarista formado pela USP, Adriano Diogo era um estudante universitário quando foi preso e torturado em 1973 no DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna), órgão da repressão do então governo militar. Eleito vereador de São Paulo por quatro oportunidades, também foi deputado estadual por três mandatos na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), onde presidiu a Comissão da Verdade Rubens Paiva, que investigou e produziu um relatório sobre os crimes cometidos pelos agentes da ditadura.

Na Alesp, Diogo também presidiu a “CPI das Universidades”, que apurou se as universidades paulistas eram negligentes com casos de violação de direitos de estudantes em festas e trotes. Secretário municipal do Meio Ambiente de São Paulo em 2003, ele está no décimo quarto vídeo da série #EscolaDemocrática, produzida pelo Painel Acadêmico.

“Como ninguém quer golpe, ninguém quer ditadura, a Escola Sem Partido é a forma de iniciar esse processo fascista. Por isso temos de nos mobilizar contra a Escola Sem Partido. É na escola que a gente aprende as coisas mais importantes. E é lá que a gente vai discutir as ideias”, afirma Diogo.

#EscolaDemocrática

O site Painel Acadêmico acredita que o Escola Sem Partido – que mistura uma ação militante na sociedade com a apresentação por parlamentares em níveis municipais, estaduais e federal de projetos de lei com conteúdos semelhantes –, longe de trazer equilíbrio para a sala de aula, levará a um progressivo encolhimento do espaço de conhecer e aprender.


Adriano Diogo, ex-presidente da Comissão da Verdade e da CPI das Universidades na Alesp

Para explicar como isso pode acontecer, iniciamos no último dia 18 a publicação de depoimentos de diferentes atores do espaço escolar e acadêmico sobre o projeto.

Nos próximos dias, continuaremos com a divulgação dos vídeos, abordando diferentes posições. Como se poderá constatar, o contrário da Escola Sem Partido não é a “escola com partido”.  É a #EscolaDemocrática. Por ela pautamos nossa atuação e nossa cobertura jornalística. Ela é que garante que a escola seja o palco de um dos mais importantes aprendizados para o livre debate das ideias, o aprendizado do debate e da convivência – sem imposições, sem censura, sem terror.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Destaques