COPA DO MUNDO

“Revista USP” publica na internet o dossiê “Copas do Mundo”

Disponível on-line na íntegra, nova edição da revista aborda o futebol sob variados aspectos


Detalhe da capa da edição número 117 da Revista USP, que traz o dossiê “Copas do Mundo” (Foto: Reprodução)

Às vésperas da Copa do Mundo da Rússia, a nova edição da Revista USP – de número 117 – traz o dossiê “Copas do Mundo – Para Entender o Planeta Bola: O Futebol Muito Além das Quatro Linhas”, que reúne histórias e reflexões de especialistas sobre o fenômeno do futebol. E o mais importante: a partir de hoje, o Jornal da USP disponibiliza esta e as próximas edições em versão on-line, na íntegra e gratuitamente, para leitura e download. Com a nova edição, os leitores vão poder entender o futebol no Brasil e no mundo no contexto da sociedade contemporânea e observar sua importância cultural, social, econômica e política.

O dossiê “Copas do Mundo” tem a coordenação do professor Flavio de Campos, docente da FLFLCH (Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) da USP e coordenador científico do Ludens (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas sobre Futebol e Modalidades Lúdicas), também da USP.

“A intenção foi articular o futebol a temas candentes de nosso tempo.”

Campos organizou a edição reunindo artigos que trazem a reflexão sobre o futebol não apenas como modalidade esportiva. “A intenção foi articular o futebol a temas candentes de nosso tempo: a frequente e questionável oposição entre futebol-arte e futebol-força, que embala debates acalorados e análises intermináveis”, observa.

O professor explica que os artigos trazem também as projeções e distorções acerca do futebol em tempos de Guerra Fria e as impressões que se lançavam sobre a antiga URSS (União Soviética). Analisam ainda os passos e impasses do futebol feminino no Brasil e a questão das relações de gênero em um país com altíssimos índices de feminicídios e violência contra as mulheres. “O dossiê aborda também a forte presença de seleções periféricas provenientes da África e/ou de Estados de maioria muçulmana na Copa da Rússia de 2018, em um contexto no qual a islamofobia avança cotidianamente; as recorrentes discussões acerca das rivalidades futebolísticas envolvendo Brasil, Argentina e Uruguai; as dimensões das crises da Fifa e da CBF e suas vinculações à política brasileira.”

O dossiê reúne seis ensaios. Três deles foram apresentados no 2º Simpósio Internacional de Estudos Sobre o Futebol, em maio de 2014. Gunter Gebauer traz o tema “Sobre a beleza do futebol”, Silvana Vilodre Goellner e Cláudia Samuel Kessler escrevem “A sub-representação do futebol praticado por mulheres no Brasil: ressaltar o protagonismo para visibilizar a modalidade” e Rafael Bayce questiona “A rivalidade Argentina-Brasil-Uruguai no futebol”.

Um dos artigos versa sobre o entrelaçamento das crises da Fifa, da CBF e do Estado brasileiro, evidenciadas nos últimos anos.

Os outros três artigos foram elaborados especialmente para esta edição da Revista USP. O jornalista e crítico de futebol Juca Kfouri dinamiza a leitura com o texto “A Fifa é anticomunista! Jamais deixará a União Soviética ganhar uma Copa do Mundo”. Kfouri é, como bem lembra Flavio de Campos, um corintiano notório e uspiano ilustre, formado em Ciências Sociais nos anos sombrios da ditadura militar. “Juca é um dos mais destacados representantes da história do jornalismo esportivo brasileiro. Ter seu nome como um dos colaboradores neste número da revista de nossa Universidade é uma honra para todos aqueles que apreciam o futebol, valorizam o jornalismo crítico e desejam um País melhor em todos os sentidos.”


Dossiê da Revista USP traz seis artigos de especialistas sobre o futebol  (Foto: Felipe Quintanilha/Flickr-CC)

O antropólogo José Paulo Florenzano, professor da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), assina o ensaio “Quando éramos exóticos: futebol e alteridade”, problematizando a participação de seleções coadjuvantes e periféricas na história das copas. O último artigo, “E la nave va: Fifa, CBF e o Brasil sob a tempestade política”, é assinado pelo professor Flavio de Campos e por Luiz Guilherme Burlamaqui, doutorando em História Social da FFLCH e pesquisador do Ludens. “O artigo versa sobre o entrelaçamento das crises da Fifa, da CBF e do Estado brasileiro, evidenciadas nos últimos anos. Marcadas por uma série de aspectos comuns, como denúncias de corrupção e lavagem de dinheiro, delações e prisões de autoridades, em um contexto de desestabilização de governos populares na América Latina, tais crises revelam o enfraquecimento institucional em diversos níveis neste contexto da economia global.”

O editor da Revista USP, Francisco Costa, destaca a importância do dossiê diante da expectativa e apreensão dos brasileiros com a performance da Seleção na Rússia. “É fato que todo brasileiro está com um pé – ou os dois – atrás por conta de três carmas já vividos por nós: a final da Copa de 50, levada pelos uruguaios em pleno Maracanã, que ganhou a alcunha de ‘Maracanaço’; a incrível seleção que caiu em Sarriá, em 1982, na Espanha; e a recente, muito recente, de 2014, a dos 7 a 1 dos alemães aqui em casa, no Mineirão, que poderia muito bem se chamar de ‘Mineiraço’. Este último, sem dúvida alguma, doeu mais – ainda está doendo e, diga-se, não se apagará da história do futebol mundial, para nosso vexame maior.”

Traumas à parte, Francisco Costa assinala que a edição da Revista USP resgata o brio do nosso futebol. “O Brasil é o único pentacampeão. É o país que participou de todas as edições da Copa e o que mais vezes disputou uma final.”

O editor executivo da Revista USP, Jurandir Renovato, explica que este é o terceiro dossiê publicado pela revista sobre futebol. “O primeiro foi em 1994, na Copa dos Estados Unidos. Naquela época, o tema futebol ainda não era muito bem visto na Universidade e, portanto, sua discussão no âmbito acadêmico era bastante incomum” , lembra. “A Revista USP inovou ao colocar gente do porte de Roberto DaMatta, Nicolau Sevcenko e Décio de Almeida Prado para analisar com seriedade o universo do futebol no País. Em 2014, já na Copa do Brasil, a revista publicou não só textos de sociólogos, críticos e historiadores como também – e essa foi a novidade naquele número – de especialistas no aspecto propriamente técnico do esporte, coisas como táticas e desempenho de atletas.”

A Revista USP, número 117 – publicação da Superintendência de Comunicação Social (SCS) da USP -, com o dossiê “Copas do Mundo”, está disponível na íntegra aqui.

 

Destaques