#PAINELNAFENALAW

Política de segurança de dados de escritórios de advocacia no Brasil ainda precisa evoluir

‘Infelizmente, o que a gente vê é que os escritórios têm investido depois que o problema acontece’; especialista em Tecnologia, César Schmitzhaus foi um dos palestrantes da Fenalaw 2016

“A segurança de dados é normalmente deixada de lado. O que acontece? Você investe em um software que vai ajudar sua gestão e começa a colocar informações lá dentro. Normalmente você tem um servidor ou o próprio software rodando em uma estrutura própria. Porém, a segurança deles não é tratada. Como um escritório, na maioria dos casos, não tem um setor de T.I. (Tecnologia da Informação) especializado nisso, acaba ficando desprotegido. Não é que o software é ruim. Não se trata disto. Mas o sistema operacional, a infraestrutura que está por trás dele, não provê esta segurança”.

Com formação na área de Ciência da Computação, César Schmitzhaus trabalha há cinco anos com soluções em nuvem com segurança para escritórios de advocacia. O especialista foi um dos palestrantes da 6ª edição da Fenalaw, realizada em São Paulo na última semana.

“Infelizmente, o que a gente vê é que os escritórios têm investido depois que o problema acontece. A gente falou bastante aqui destes ataques, do sequestro de dados, que é quando o hacker se apropria dos dados da empresa e depois pede um resgate, que normalmente é pago em bitcoins, uma moeda que circula na internet. E neste momento o escritório procura uma ajuda especializada para resolver o problema”, afirma Schmitzhaus.

De acordo com o especialista, que é diretor de Tecnologia da empresa Teltec Solutions, a preocupação dos escritórios de advocacia com a segurança de dados aumentou nos últimos anos, mas ainda está longe do ideal.

“O que vem acontecendo é que isto está mudando. Então já tem mais escritórios investindo em segurança. Colocando seus dados na nuvem, com mais segurança. Mas precisam ainda se preparar, buscar mais informações, para saber como criar uma política de segurança. Vem melhorando, mas ainda é um processo que está no início e precisa evoluir bastante”, pondera.

“A segurança de dados é normalmente deixada de lado. O que acontece? Você investe em um software que vai ajudar sua gestão e começa a colocar informações lá dentro. Normalmente você tem um servidor ou o próprio software rodando em uma estrutura própria. Porém, a segurança deles não é tratada. Como um escritório, na maioria dos casos, não tem um setor de T.I. (Tecnologia da Informação) especializado nisso, acaba ficando desprotegido. Não é que o software é ruim. Não se trata disto. Mas o sistema operacional, a infraestrutura que está por trás dele, não provê esta segurança”.

Com formação na área de Ciência da Computação, César Schmitzhaus trabalha há cinco anos com soluções em nuvem com segurança para escritórios de advocacia. O especialista foi um dos palestrantes da 6ª edição da Fenalaw, realizada em São Paulo na última semana.

“Infelizmente, o que a gente vê é que os escritórios têm investido depois que o problema acontece. A gente falou bastante aqui destes ataques, do sequestro de dados, que é quando o hacker se apropria dos dados da empresa e depois pede um resgate, que normalmente é pago em bitcoins, uma moeda que circula na internet. E neste momento o escritório procura uma ajuda especializada para resolver o problema”, afirma Schmitzhaus.

De acordo com o especialista, que é diretor de Tecnologia da empresa Teltec Solutions, a preocupação dos escritórios de advocacia com a segurança de dados aumentou nos últimos anos, mas ainda está longe do ideal.

“O que vem acontecendo é que isto está mudando. Então já tem mais escritórios investindo em segurança. Colocando seus dados na nuvem, com mais segurança. Mas precisam ainda se preparar, buscar mais informações, para saber como criar uma política de segurança. Vem melhorando, mas ainda é um processo que está no início e precisa evoluir bastante”, pondera.

#PainelNaFenalaw 

Painel Acadêmico é um dos parceiros da Fenalaw 2016. Durante toda a Feira, realizada na cidade de São Paulo entre os dias 18 e 21 de outubro, nossa equipe conversou com diversos especialistas que participaram como palestrantes do evento. 

Todas as entrevistas, sobre temas importantes para quem já atua ou pretende atuar no mercado jurídico, serão disponibilizadas nos próximos dias no especial Gestão, para você e seu escritório. Nos vídeos, que também serão publicados no nosso canal no YouTube, serão publicadas informações sobre marketing jurídico, utilização de redes sociais por advogados, novas tecnologias para escritórios e muito mais. 

Fique ligado na série #PainelNaFenalaw e confira as principais tendências para o setor discutidas no maior evento jurídico da América Latina.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

Notícias