XXII EXAME DE ORDEM

Cansativa, 1ª fase da OAB trouxe questões longas e complexas, avaliam professores

Prova aplicada neste domingo reduziu expectativas sobre alto número de aprovados para a 2ª fase e especialista aponta possibilidade de anulação de uma questão; ouça podcasts de todas as áreas

Os candidatos que participaram da 1ª fase do XXII Exame de Ordem na tarde deste domingo (2/4) não tiveram vida fácil. Uma prova cansativa, com enunciados longos, questões interdisciplinares e conteúdos incomuns e muito difíceis em áreas estratégicas reduziu a expectativa de especialistas sobre o número de aprovados para a segunda etapa do Exame.

“De uma forma geral, a prova estava difícil. As principais disciplinas cobraram conteúdos bastante difíceis. Processo do Trabalho e Ética, as duas difíceis, devem reduzir o número de aprovados”, avalia Marco Antonio Araujo Jr., diretor executivo do Damásio Educacional.

Foto: Igor Truz

No bairro da Liberdade, professores avaliam questões da 1ª fase do XXII Exame de Ordem

Juntas, as disciplinas de Ética, Trabalho e Processo do Trabalho somam quase 30% da prova, com 21 das 80 questões de múltipla escolha que compõem a 1ª fase da OAB. Elas são consideradas as áreas mais decisivas porque, para ser aprovado à fase seguinte, o candidato precisa acertar 50% das questões.

A reportagem de Painel Acadêmico esteve com exclusividade na sede do Damásio Educacional, onde os professores analisaram e corrigiram as questões da prova aplicada neste domingo (2/4).

Os comentários, divididos por áreas, pode ser conferidos na playslist de podcasts abaixo:

Exame Fora da Ordem

Além da complexidade no conteúdo, a prova também confundiu um pouco alguns candidatos na forma. Isto porque, no Exame aplicado hoje, os organizadores inverteram a tradicional ordem das questões por disciplina.

Segundo Darlan Barroso, diretor pedagógico do Damásio, a mudança pode ter prejudicado muito os candidatos que se preparam para responder as questões na ordem usual.

“A gente sempre fala pra não fazer isso, mas tem gente que orienta em sentido contrário [de seguir uma determinada ordem]. Quem fez uma estratégia de estudo com base nesta orientação, foi muito prejudicado. Por isso que eu sempre digo: não faça isso. Siga a ordem da prova, porque a gente não sabe o que a OAB vai fazer. A OAB pode colocar a questão do jeito que ela quiser. É até uma regra de segurança”, explica Barroso.

Trabalho

Coordenador das áreas de Direito e Processo do Trabalho no Damásio, Leone Pereira considerou a prova de hoje mais difícil que a aplicada no Exame anterior.

“Perguntaram temas tradicionais e novidades, como Ação Monitória, Reconvenção em Ação de Consignação e Pagamento em Processo. No geral, uma prova que eu posso dizer, comparada com a prova passada, terá um nível de aprovação igual ou inferior”, explica Pereira.

O professor lamentou a dificuldade das questões que, de acordo com ele, pode complicar muito a passagem de aprovados à fase seguinte, principalmente daqueles que não têm tanta familiaridade com a área e pretende fazer a segunda etapa em outras disciplinas.

“São 11 questões difíceis e isso, naturalmente, barra bastante a ida para a 2ª fase. A gente pensa no aluno fazendo a prova, não sendo da área, se deparando com várias disciplinas e enfrentando uma prova deste nível, com enunciados truncados, pegadinhas. A gente acha que a aprovação vai ser igual ou inferior à prova anterior”, destaca.

Recurso

Leone ressaltou ainda que existe uma possibilidade de anulação de questão. Trata-se da pergunta 76 (prova tipo 2- Verde).

“A questão falava de Embargos à Execução, tratando-se de Execução por carta precatória. Eles consideram como alternativa correta a alternativa C, mas tecnicamente era a alternativa A”, afirma. “O enunciado deixava claro que o juízo que determinou a penhora do bem foi o deprecante, não havia nenhum vício praticado pelo juízo deprecado. E, à luz do novo CPC, em que a competência seria do deprecado, seria com base nos Embargos de Terceiro, mas a questão falava de Embargos à Execução”, continua.

Segundo o professor, os fundamentos para a apresentação do recurso já estão prontos.

“A gente vai trazer isso, não é certeza que eles vão mudar o gabarito, mas pedimos a alteração de C para A”, diz.

O resultado preliminar da 1ª fase do XXII Exame deverá ser divulgado no dia 17 de abril. A segunda fase está prevista para o dia 28 de maio.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos:

XXIII Exame de Ordem | 1ª fase | Podcasts