MUDOU O TOM

Resignada, OAB anuncia que prejudicados com suspensão de Exame de Ordem no RN farão prova em maio

Seccional potiguar, que pediu o adiamento em razão da violência que assolava o estado, divulgou que examinandos farão prova na mesma data da 2ª fase do XXII Exame

Foi notícia no início do mês a nota da OAB-RN (Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte) na qual a seccional se colocou publicamente contra a decisão da FGV (Fundação Getúlio Vargas) de não aplicar uma nova edição da 2ª fase do XXI Exame de Ordem no estado potiguar. A prova deveria ter acontecido no dia 22 de janeiro, mas acabou suspensa por conta da violência que atingiu o estado após a rebelião do presídio de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal.

Divulgação

Menos de 15 dias depois de dizer que discordava integralmente dos argumentos da FGV, OAB-RN lançou nota elencando razões pelas quais a Fundação não poderia reaplicar prova no estado

Nesta quinta-feira (16/2), no entanto, a OAB-RN mudou o tom. Depois de anunciar que discordava “integralmente” dos argumentos da FGV para não realização da prova, a seccional potiguar divulgou o anúncio de que os candidatos prejudicados não contarão com uma data de reaplicação e que farão as provas apenas no dia 28 de maio, data em que acontacerá a 2ª fase do 22º Exame de Ordem em todo país.

De maneira resignada, a OAB-RN chegou a elencar os motivos pelos quais a reaplicação da prova apenas para os candidatos do estado não seria viável para a FGV.

“Existem fatores técnicos que impedem a antecipação da data, uma vez que se faria necessária: 1) a formação de nova banca para formulação, análise e validação das questões; 2) a elaboração de pelo menos três modelos de prova para cada disciplina; 3) a formação de banca recursal para análise de padrão de respostas válidas, inclusive considerando o grau de dificuldade da prova que se realizou; 4) toda a logística de diagramação, montagem, impressão, separação e distribuição dos cadernos de prova; providências estas necessárias para a manutenção da qualidade e excelência do certame”, diz o novo texto da OAB-RN.

A suspensão da aplicação da prova no estado, solicitada pela própria OAB do Rio Grande do Norte e anunciada no dia 20 de janeiro, menos de 48 horas antes da data prevista para a aplicação, foi definida com base no item 3.6.23.2. do edital do XXI Exame.

O texto determina que a prova, no caso de suspensão, poderia ser aplicada em uma nova data ou que os candidatos prejudicados seriam inseridos automaticamente na próxima edição do Exame de Ordem.

A FGV, responsável pela elaboração e aplicação do Exame de Ordem, decidiu pela segunda opção. De acordo com informações divulgadas pela própria OAB-RN, a Fundação alegou que a aplicação isolada da 2ª fase do XXI Exame no Rio Grande do Norte teria alto custo e prejudicaria o cumprimento de cronogramas já estabelecidos.

Entenda o caso

Na noite de 20 de janeiro, a OAB anunciou o adiamento da 2ª fase do XXI Exame de Ordem Unificado no estado do Rio Grande do Norte. A prova, que aconteceu em todos os outros estados do país, seria aplicada nas cidades de Mossoró e Natal.

A prova foi suspensa em razão da “onda de violência” deflagrada após a rebelião do presídio de Alcaçuz. O adiamento foi solicitado pelo Conselho Seccional da OAB no Rio Grande do Norte.

Até aquele momento, 32 ataques a prédios e ônibus foram registrados em Natal, motivados pela transferência de 220 detentos do Presídio de Alcaçuz.

Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos: