HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Processo de demarcação de fronteiras do Brasil não foi tranquilo e pacífico, diz historiadora

Livro revela mortes e situações de conflitos nas fronteiras e aborda a contribuição de intelectuais e militares no processo de demarcação do território brasileiro

Não é comum ouvir sobre mortes e conflitos nas fronteiras do Brasil. Mas, ao contrário do que pode parecer, o processo de demarcação dos limites do território brasileiro não foi pacífico.

“Situações de briga, de morte, situações críticas de conflitos ocorriam nas faixas de fronteira e até então são desconhecidos da nossa história. Até parece que o processo de demarcação foi tranquilo e pacífico. Mas não foi”, explica a historiadora Luciene Pereira Carris Cardoso, pesquisadora do programa de pós-graduação em História da PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro).

Carris é autora do livro Intelectuais, Militares, Instituições na configuração das fronteiras brasileiras, lançado pela editora Alameda. A obra é resultado de sua pesquisa de pós-doutorado desenvolvida, sob supervisão do professor Antonio Carlos Robert Moraes, no Laboratório de Geografia Política da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) da USP (Universidade de São Paulo).

“Eu analisei três casos de fronteiras: a questão do Brasil com a Argentina; a questão do Brasil com a Guiana-Francesa (neste caso a França); e a questão do Brasil com a Bolívia”, conta a pesquisadora. “O livro traz a tona a contribuição de militares, intelectuais e demais indivíduos desconhecidos que participaram deste processo de demarcação de fronteiras”, continua.

Um dos personagens centrais da investigação é José da Silva Paranhos Junior, o Barão de Rio Branco. O livro não só retoma os esforços do então ministro das Relações Exteriores para resolução de antigas pendências fronteiriças, como também revela a comunicação do diplomata com intelectuais estrangeiros, como o anarquista francês Élisée Reclus e o economista Émile Levasseur.

“É importante ressaltar que a problemática da integridade do território brasileiro também suscitou o patriotismo e o nacionalismo, porque tais causas saiam do parlamento e da chancelaria e iam direto para os jornais, periódicos e instituições da época”, afirma Cardoso.

Ficha Técnica

Intelectuais, Militares, Instituições na Configuração das Fronteiras Brasileiras
Assunto
: História/Geografia
Autor: Luciene Pereira Carris Cardoso
Edição: Alameda (tel.: 11 3012-2403)
Preço: R$ 52,00 (189 páginas) – 16 x 23 – Brochura – 0,270 Kg
Profundidade: 1,0 cm
ISBN: 978-85-7939-379-2
Clique aqui para comprar.

Confira

Últimas notícias