LIVROS

A Enunciação em Machado de Assis

Um esforço para a “conciliação entre linguística e literatura”

A obra de Machado de Assis continua sendo um problema e um enigma na cultura letrada brasileira e na literatura ocidental, a merecer diferentes abordagens e a resistir à decifração, ainda quando o arsenal teórico possa variar num arco muito amplo que pode ir da crítica literária tradicional mais impressionista às modernas, ou moderníssimas, correntes da semiótica contemporânea.

Parece que a sensação que fica, diante das múltiplas abordagens, muito diferenciadas, para um leitor atento do próprio Machado, é a de que sempre se avança alguma coisa e nunca se completa o percurso de análise, seja qual for a pretensão e o esforço do analista e intérprete. A obra de Machado aí fica como a construção de uma imensa obra-prima a desafiar a tudo e a todos com certo riso escarninho e irônico, parente do famoso “desdém dos finados”, a que se referia Brás Cubas.

 

Este livro de Eduardo Calbucci, que o leitor tem em mãos, é produto de um extraordinário esforço de aplicação das teorias semióticas mais recentes, de origem francesa, com valiosas contribuições de linguistas brasileiros, para o conhecimento da complexa enunciação, em seus níveis distintos, das Memórias Póstumas de Brás Cubas, narrativa tomada como espécie de síntese superior dos procedimentos machadianos de elaboração literária.

Esse esforço tem uma linha mestra que é a “conciliação entre a linguística e a literatura”, o que implica a exposição teórica cuidadosa das questões concernentes a esse delicado problema e, em seguida, um capítulo exemplar onde ficam expostas com minúcia as “experiências discursivas das Memórias Póstumas”, constituído de 11 tópicos, nos quais são repassados, segundo a perspectiva semiótica, os aspectos ora mais ora menos estudados daquilo que constitui o “estilo machadiano”, discutindo-se também a própria noção de estilo, segundo aquela perspectiva.

Finalmente, o livro aplica-se ao estudo da “confirmação” do éthos dos nove romances publicados por Machado de Assis, verificando-se com riqueza e prodigalidade de exemplos o caráter, a voz e o corpo machadianos, constituídos nesses romances e, a rigor, embora com variações, formando uma grande unidade produtiva de discursos, o que põe em xeque a velha noção estabelecida das duas fases; nem romântico nem realista, categorias que, pela leitura semiótica, não se aplicam aos textos do grande escritor, pois o que sobressai é a força da retomada machadiana da herança da sátira menipeia, com a qual ele inova e moderniza a nossa literatura, num trabalho muito original e pleno de consequências.

A Enunciação em Machado de Assis
Autor: Eduardo Calbucci
Preço: R$50,00 (360 páginas)
ISBN 978-85-7751-060-3
Publicado em dezembro de 2010, em coedição com a Edusp

 

 

Compre online na loja Alameda Editorial

Destaques

Últimas notícias