LIVROS

"O Brasil é um país rico em fontes de energia, mas luta desde sempre para obter o controle delas", diz historiador

Publicação explica a importância do controle dos meios de produção através de estudo sobre o setor elétrico

O Brasil é rico em fontes de energia, mas luta desde sempre para obter o controle delas. Essa condição é estratégica para o desenvolvimento do país, para o professor Marcelo Squinca, da USP, que analisa a história do setor elétrico no Brasil em seu livro.

A ameaça neoliberal, a ausência de um projeto nacional duradouro e os “momentos brasileiros” na disputa por uma relevância no cenário energético são explorados por Squinca em “A política do setor elétrico nos anos douradosembates entre paulistas e mineiros no processo de expansão do setor de energia elétrica no Brasil (1951-1961), publicado pela Editora Alameda.

Para o autor, lutar pelo controle de nossos próprios meios produtivos significa lutar contra o próprio capitalismo, por isso, sua obra fala do esforço dos estados de São Paulo e Minas Gerais na disputa por uma posição de destaque no controle do setor elétrico brasileiro, ampliando a discussão para o papel do Brasil na DIT (Divisão Internacional do Trabalho). 

Segundo o titular de História Econômica da FFLCH-USP, Wilson do N. Barbosa, o livro retoma a disputa política pela “parte do leão” na constituição do setor elétrico brasileiro. “A política de outros estados veio então a despertar de seus sonhos de província e chegaram para disputar com os mineiros o controle da oferta elétrica no país", explica o professor.

Ainda segundo Barbosa, o livro “oferece ao leitor a oportunidade de reforçar sua consciência política, através do estudo de um Brasil passado”.


O historiador Marcelo Squinca comenta sua nova publicação

Sobre o autor: Marcelo Squinca da Silva é Bacharel em História pela Universidade de São Paulo. Mestre e Doutor pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós-Doutor pelo Departamento de História da Universidade de São Paulo. É autor do livro Energia Elétrica: estatização e desenvolvimento, 1956-1967, publicado pela Editora Alameda/ FAPESP. Professor do Instituto Federal do Mato Grosso. Atualmente desenvolve pesquisas acerca da História do setor de energia elétrica no Brasil. Integra o Grupo de Estudos do Progresso da Tecnologia e Ciência (GEPTEC-FFLCH/USP) e Centro de Estudos de História da América Latina (CEHAL-PUC/SP).

 

Confira