LITERATURA

Paloma Franco Amorim indica autoras mulheres que inspiraram sua trajetória

A autora de "Eu preferia ter perdido um olho" recomenda leituras para a campanha #ReadMoreWomen

Em alinhamento com a campanha social #ReadMoreWomen, recentemente lançada pela plataforma Eletric Literature, para divulgar e recomentar livros escritos por mulheres ou autores de gênero não binário, a Editora Alameda entrevistou algumas de suas autoras mulheres, pedindo suas recomendações de leitura e referências literárias.


(Designed by Stephanie Kubo)

Paloma Franco Amorim é autora do livro “Eu preferia ter perdido um olho” publicado pela Alameda em 2017. Seu livro é um relato confessional descrito narrado em primeira pessoa, como personagem que vive e filosofa, costurando pequenos contos em uma grande narrativa.

Como indicação de leitura, Paloma cita o romance Ponciá Vicêncio, de Conceição Evaristo, que foi traduzido para o inglês e publicado nos Estados Unidos. Conceição estudou Letras na UFRJ e iniciou sua trejetória na literatura nos anos 90. Suas obras tocam questões gênero, de classe e raciais, acima de tudo.

Já como inspiração pessoal para a produção de contos, Paloma elenca Maria Lúcia Medeiros, autora paraense, como sua favorita. Maria Lúcia é autora de livros como Horizonte silencioso, onde funde realidades e gêneros literários. Recentemente, a autora teve sua vida e obra analisadas pela pesquisadora Maria de Fátima Corrêa, também paraense, em tese mestrado pela UFPA.

Por fim, Paloma indica a escritora mineira radicada na Bahia, Ana Maria Gonçalves, especialmente por reconhecer a importância de tratar dos temas da negritude, do racismo e de resgatar demandas específicas da população negra em datas de celebração da luta feminina como o 8 de março. Conheça um pouco mais sobre Ana Maria através de seus textos publicados na plataforma Geledés.

Eu preferia ter perdido um olho

Autora: Paloma Franco Amorim

Editora Alameda

Preço: 38,00

Confira