Eu passei

"Leitura e repetição, com a devida constância, podem ser a chave para o sucesso", diz assistente jurídico

Por Ayrina Pelegrino

 

 

Nome: Rafael Ribeiro Meirelles Costa



 

Cargo: Sou assistente jurídico no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, tendo ingressado na instituição por meio de concurso para o cargo de escrevente técnico judiciário.

 

Por que escolhi a carreira: Estava ainda no quarto ano de faculdade quando da abertura do concurso e, por isso, buscava uma carreira pública que me permitisse um bom nível de aprendizado com uma remuneração muito superior a qualquer estágio jurídico. Tinha essa preocupação pelo fato de colaborar, desde cedo, com o orçamento familiar.

 

Em que ano passou no concurso: Passei em 2011.

 

 

Como organizava seu tempo de estudo: Procurava estudar um pouco todo dia, lendo atentamente a legislação cobrada no edital. Pela minha experiência, concursos de nível médio e mesmo os concursos de analista de tribunais costumam exigir do candidato um conhecimento literal da lei. A leitura e a repetição, com a devida constância, podem ser a chave para o sucesso nesses concursos.

 

O que mais gosto na instituição: Gosto das possibilidades de aprendizado no TJ-SP, que são inúmeras. Trabalhar no maior tribunal do País confere ao servidor uma experiência diversificada. É uma escola. E uma grande responsabilidade ao mesmo tempo, sem dúvida.

 

O que gostaria de mudar na instituição: As mudanças esperadas não só por mim, mas certamente por magistrados e servidores do Tribunal vêm sendo realizadas pelas últimas administrações. As condições de trabalho estão melhorando, assim como há, atualmente, maior valorização dos funcionários. A implementação do "processo digital" é igualmente muito bem-vinda. Será muito importante para a instituição que os avanços continuem.

 

Meu objetivo profissional: Gostaria de continuar realizando um bom trabalho no TJ-SP, como assistente jurídico, enquanto concluo meu curso de mestrado na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (USP). Após, seguirei com os estudos, com vistas ao ingresso em outras carreiras jurídicas.

 

Onde se formou, em que ano? Formei-me na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, da Universidade de São Paulo, em 2012.

Últimas notícias