Eu passei

"O que mais gosto é ter a possibilidade de influenciar a solução de problemas da sociedade", diz escrevente judiciário



Nome Completo: Pedro Machado Segall

Cargo que ocupa? Escrevente técnico judiciário.

Que ano passou no concurso? Junho de 2013.

Como organizava seu tempo de estudo? Depois do trabalho (em um escritório de advocacia, na área de arbitragem), exclusivamente com apostilas voltadas especificamente para o concurso.

O que mais gosta na instituição? Ter contato direto com problemas concretos da sociedade e possibilidade de influenciar a sua solução.

O que gostaria de mudar na instituição? O sistema dos processos digitais (fase digital do SAJ). Esse sistema é muito ruim, porque é uma simples reprodução do processo físico, de modo que não só não elimina etapas burocráticas, como ainda faz com que os servidores percam tempo tendo que aprender um novo sistema. Além disso, ele é muito instável, apresentando diversas falhas e erros operacionais durante a realização dos procedimentos. As reclamações vêm tanto dos servidores como de advogados.

Qual seu objetivo profissional? Tornar-me magistrado.

Onde se formou, em que ano? Me formei na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em julho de 2011.

Lembra qual a sua colocação no concurso? 412º lugar.
Desde que foi criado, em março de 2015, o Painel Acadêmico só cresceu. Enfrentando diversas dificuldades, conquistamos todos os dias novos leitores com nossa produção jornalística independente e linha editorial de permanente defesa do acesso ao conhecimento de qualidade para todos os brasileiros. Para seguir com a missão não só de informar sobre os principais acontecimentos na área, mas sobretudo de diminuir a distância entre a produção acadêmica e o grande público, precisamos da sua ajuda.
Saiba como apoiar nosso projeto jornalístico independente sobre Educação.
Quem contribui ganha livros e descontos: