E agora, escolho ser procurador do MPT ou juiz do trabalho dos TRTs?

Por Ayrina Pelegrino

Muitos se perguntam se é melhor se concentrar nesse concurso ou se deve pensar nos concursos para juiz do trabalho dos TRTs (Tribunais Regionais do Trabalho). O Última Instância fala um pouco mais sobre cada concurso para você fazer a sua escolha.

O concurso do MPT é o mais procurado na área trabalhista por conta do salário de R$ 24 mil, a qualidade de vida da profissão, por ser um setor em constante crescimento, e pelo campo de atuação. Porém a prova é complexa e a média de estudo para entrar no concurso é de 5 a 6 anos de estudo, e para se chegar a uma comarca central leva-se de 3 a 5 anos. Já os concursos dos TRTs rodam o ano inteiro e com muitas vagas. Mas o salário é menor e leva-se de 8 a 12 anos para se chegar à capital.

O professor Leone Pereira, coordenador da área trabalhista do Damásio Educacional, explica que o concurso do MPT chama atenção por tratar de questões trabalhistas em uma linha mais coletiva, os direitos sociais, como o combate ao trabalho escravo e do menor.

“A busca pela profissão é grande pois o procurador contribui para a melhoria da sociedade de uma forma direta. Além disso, não é uma profissão arriscada, pois não mexe diretamente com o crime”, diz Leone.

O que vem desanimando os alunos é o número reduzido de vagas. O que os leva a prestar mais concursos para juiz do trabalho, analista e técnico, já que são 24 TRTs (Tribunais Regionais do Trabalho).

“Quem está passando no concurso está em uma linha de 5 a 7 anos de estudo, pois o concurso mais difícil que juiz do trabalho. Mas a questão não é só estar preparado é aliar isso a abertura do concurso e ao número de vagas”, diz o professor. Para Leone, o ideal seria abrir todo ano 100 ou 200 vagas.

Uma das vantagens do concurso nacional aos regionais é a rapidez com que se chega a trabalhar em uma comarca central, de 3 a 5 anos. “O concurso envolve remoções internas e envolve colocações, mas é rápido comparado com a magistratura estadual, que se leva de 8 a 12 anos para se chegar à capital”, explica o professor.

Independente da profissão que você escolher saiba que a área de direito do trabalho está em alta. Segundo o Manifesto Comunista (1848) de Marx e Engels sempre existirá o conflito capital/trabalho.

“Essa relação é naturalmente conflituosa e a área trabalhista é quem regulamenta tudo isso”, afirma o professor Leone. “A área está sempre em movimento, não consigo dar a mesma aula todo ano. Isso torna o direito do trabalho mais interessante, você está sempre estudando e se reciclando.”

LEIA MAIS:

Concursos abertos oferecem cerca de 1,1 mil vagas

Saiba quais são as principais mudanças da nova ortografia

Ser policial não é como mostrado nas novelas, diz delegado da Polícia Federal

Especialista dá dicas de como driblar as pegadinhas nas questões de concursos

Diferença entre salários de cada estado para delegado da Polícia Civil gera discussões

Últimas notícias